Força que vem da terra

Heptacampeão do Rally dos Sertões, o piloto e preparador de carros de competição Edu Piano aposta no crescimento da categoria UTV.

por Luiz Humberto Monteiro Pereira
humberto@esportedefato.com

Entrevista com o piloto Edu Piano, da equipe Território Motorsport – Foto: Lucas Carvalho

Aos 48 anos, o piloto e preparador de carros de competições Edu Piano tem uma trajetória de mais de 25 anos no off-road. Coleciona títulos no rally cross country e é heptacampeão do Rally dos Sertões – um na geral dos carros e seis nos caminhões. No ano passado, resolveu encarar um novo desafio e competir de UTV (Utility Task Vehicle). São veículos de quatro rodas que tem cabine tubular – os ocupantes devem usar capacetes. Os motores podem ter até 1000 cilindradas e os veículos fazem de 0 a 100 km/h em menos de 5 segundos. “A situação econômica do país refletiu diretamente nos investimentos no rali. Competir pela categoria UTVs foi uma das alternativas que encontrei. E estou adorando, me adaptando ao novo veículo, aperfeiçoando o equipamento e é claro, buscando patrocínio sempre”, explica Edu, que nasceu na capital paulista mas mora na cidade de Tatuí. Lá, chefia a equipe de rally Território Motorsport, uma das mais tradicionais no grid do Rally dos Sertões.

Esporte de Fato – Como o automobilismo e as corridas de rally surgiram na sua vida?
Edu Piano – Minha paixão por carros é antiga. Comecei fazendo trilhas com jipe com os amigos na Serra da Cantareira. Sou da Zona Norte de São Paulo e conhecia bem a região. Em 1990, comecei a participar de provas indoor e conquistei algumas vitórias até 2001. Mas foi a partir de 1996 que o rali entrou na minha vida para valer. Eu e um amigo nos inscrevemos no Rally dos Sertões, com um Suzuki Samurai que tenho até hoje. Foram dias de muita adrenalina e loucura. Competia durante o dia e passava a noite consertando o carro. Desde então, não parei mais. São 21 anos consecutivos disputando o Rally dos Sertões e sete títulos – um na geral dos carros, em 2005, e seis nos caminhões 2007/2008/2009/2011/2013/2014.

Esporte de Fato – Como está a categoria que disputa atualmente, a de UTVs?
Edu Piano – Já corri de carro, caminhão e, desde o ano passado, estou competindo com UTV (Utility Task Vehicle), que é um pequeno veículo off-road de quatro rodas. Os UTVs entraram nos grids no Brasil há cerca de cinco anos, e desde então, é a categoria que mais cresce na modalidade. É muito rápido e uma categoria bem competitiva. Essa temporada está sendo minha estreia no Campeonato Brasileiro de Rally Baja, pela categoria UTV Pró, com um Can-Am Maverick X3 X RS. Atualmente estou na terceira posição no ranking brasileiro da categoria. Subi várias posições depois da minha vitória em maio no Rally Cuesta Off-Road, na cidade de Botucatu, quando fui campeão na geral dos UTVs.

acelerar no Autódromo de Interlagos foi emocionante.

Esporte de Fato – De todas competições que já disputou, qual considera a mais interessante?
Edu Piano – São vários campeonatos e provas no rally cross country, disputei por alguns anos a Mitsubishi Cup, onde fui tricampeão… Mas certamente a prova que marcou a minha trajetória como piloto é o Rally dos Sertões. Não é à toa que é a maior prova off-road do Brasil e o segundo maior rali do mundo – fica atrás somente do Rally Dakar. Agora estamos nos preparando para a edição de 25 anos, que acontece de 19 a 26 de agosto, com largada em Goiânia (GO) e chegada em Bonito (MS). Será a minha 21ª participação consecutiva. Meu navegador será o cearense Solon Mendes, que venceu os seis últimos títulos comigo e já navegou nos caminhões, carros, e agora UTVs.

Esporte de Fato – Em 2013, você competiu na Fórmula Truck. Como foi trocar as trilhas de terra pelas pistas asfaltadas?
Edu Piano – Foi uma experiência incrível e um ano de muito aprendizado. Após 20 anos de off-road, fiz minha estreia no asfalto e confesso que acelerar no Autódromo de Interlagos foi emocionante. O calendário da Fórmula Truck é exigente, inclusive fizemos uma etapa em Córdoba, na Argentina. E a logística também é outra. Nossa equipe teve de se adaptar. Certamente se eu tivesse patrocínio teria continuado no campeonato, mas 2013, foi um ano atípico para nossa equipe porque, na verdade, não deixamos de competir no Rally dos Sertões. E valeu muito porque, naquele ano, novamente vencemos e conquistamos mais um título na categoria Caminhões.

É uma paixão que me desafia.

Esporte de Fato – Você já participou vinte vezes do Rally dos Sertões e foi campeão em sete edições. O que acha do atual formato da competição?
Edu Piano – Em 2005 fui o primeiro piloto com origem nos jipes a ser campeão do Rally dos Sertões e sou um dos recordistas de títulos na prova. O Rally dos Sertões me fascina, nos superamos a cada etapa e já faz parte da minha vida há 21 anos. Mesmo em anos que perdemos patrocinadores, nunca deixamos de participar. Tivemos edições com mais de 40 pessoas na equipe, em outros fomos apenas com cinco pessoas. A Território Motorsport foi por anos a equipe oficial da Ford Caminhões e da Troller. É uma paixão que me desafia. Brinco que o ano é dividido em antes e após o Sertões, porque exige uma logística imensa, infraestrutura, profissionais capacitados e investimentos. Acho que passar pelo deserto do Jalapão, no Tocantins, e pelo sertão e litoral nordestinos era a essência do Sertões. Neste ano, não teremos nenhum dos dois no roteiro – vamos largar em Goiânia e chegar pela primeira vez em Bonito. Será algo diferente. Esperamos que seja uma prova que nos surpreenda e fique para história da edição dos 25 anos.

Curta a página de “Coluna Esporte de Fato” no Facebook em facebook.com/colunaesportedefato

Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

Comments are closed.