Fábio Porchat

“É o auge da minha carreira”.

Por Divulgação

Um êxito no teatro, cinema, TV e Internet, com o projeto ‘Porta dos Fundos’, Fábio Porchat acaba de dar um passo gigante na carreira ao estrear um programa com o seu nome e à sua medida, transmitido pela TV Record, de terça a sexta-feira, às 9:45 p.m., no canal 875 da Bell Fibe TV (HD) e 937 da Rogers. O humorista quer levar o melhor dele para a TV aberta.

O que o levou à TV Record?
Porchat – Trabalhar na televisão aberta, ter um programa com a minha cara e todo o carinho que recebi durante os meses de negociação foram os ingredientes que me seduziram. Fui convidado por outros canais, mas a proposta da TV Record foi a melhor.

Antes de assinar com a emissora, chegou a falar com futuros colegas?
Porchat – Sim. Conversei com a Xuxa, com o Marcos Mion e com o César Filho e todos falaram muito bem da Record. Mas a verdade é que só fui para a emissora para a Fabíola Reipert parar de falar de mim. Alguém tinha que tomar essa providência… (risos). Fui super bem recebido pelos colegas, tiro fotos com todos nos bastidores. Estou muito feliz.

O novo programa é um pouco de tudo o que já fez ou é algo totalmente novo?
Porchat – Acho que cada plataforma tem a sua característica e a TV aberta tem as suas dores e glórias. É tudo novo para mim. Apesar de já ter trabalhado em televisão, nunca tive um programa meu. Vou levar tudo o que está dentro de mim, que faz parte de quem sou, só que vou usá-lo dentro de uma nova mentalidade.

Para quem ainda não viu, como descreve o novo formato?
Porchat – É um talk show clássico, à minha imagem e com o meu tipo de humor. Trago coisas do ‘Porta dos Fundos’ e vou descobrir coisas novas enquanto faço. Temos uma banda, Pedra Letícia, o Paulo Vieira, que vai estar sempre comigo no estúdio. Temos sempre, pelo menos, um entrevistado por programa. A parte das entrevistas é a que mais me pega. Não queremos simplesmente fazer uma entrevista, queremos que tenha especificidades únicas, que só aconteçam ali. A Sasha foi a primeira convidada e esta foi a primeira entrevista dela. Ela não falou com ninguém, nem com a mãe, Xuxa! Também quero fazer piadas com a atualidade, stand-up, muitos sketches… O programa vai realmente ter a cara do Fábio Porchat.

E vai estimular a interação com os telespectadores através da Internet. Isso é fundamental em televisão?
Porchat – Acho que essa interação é muito importante. A Internet não é o futuro, é o presente. A ideia é que o programa tenha muita interatividade com o pessoal de casa. A TV Record está muito dentro desse pensamento, há uma equipe de mais de 25 pessoas exclusivamente trabalhando nisso!

Nas chamadas do programa, você brincou com a liberdade que terá na Record. Há alguma coisa que não possa mesmo fazer?
Porchat – Posso fazer tudo aquilo que a TV aberta permita. Muita coisa não se pode mesmo, nem aqui, nem noutra emissora. Mas queria poder brincar com a TV Record, com os apresentadores, com os programas e comigo inclusive. Isso foi-me permitido e fiquei muito feliz. É algo que quero muito fazer e acho que vai dar certo.

Para muitos humoristas, apresentar um talk show representa o auge da carreira. Também sente que este é o seu ponto alto?
Porchat – É o auge da minha carreira até aqui, com certeza! Acho que este é o ponto alto destes dez anos de carreira. Ter um programa meu, numa grande emissora, diário, com liberdade para poder fazer do jeito que quero e como quero. O programa tem o meu nome! Mas espero que não seja o auge da minha vida. Espero que aos 70 anos possa dizer: ‘Agora é que é!’

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Comments are closed.