“Aquarius”, de Kleber Mendonça Filho

Filme estreia na América do Norte.

por Maya Gasparoto e Christian Pedersen

Kleber no TIFF Bell Lightbox - Foto: Eric Major

Kleber no TIFF Bell Lightbox – Foto: Eric Major

A primeira vez em que Kleber Mendonça Filho esteve em Toronto foi há 25 anos como turista. Em setembro, ele veio pela segunda vez e desta vez para o lançamento do seu mais novo filme “Aquarius” dentro da programação do TIFF – Toronto International Film Festival. Confira a entrevista que a Wave fez com o cineasta durante sua passagem pela cidade.

Wave – Qual a importância de festivais como o TIFF para o cinema em geral?
Kleber – Muito importante. Especificamente o TIFF é muito prestigioso pois é a porta de entrada de filmes do mundo na América do Norte. Toronto ao longo dos anos se transformou no maior festival da América do Norte no sentido de exibir filmes do mundo.

“Aquarius” é bem diferente de “Som ao Redor” mas tem muitos pontos em comum.

Wave – Muitas são as semelhanças entre “Som ao Redor” e “Aquarius”…
Kleber – Acho que as semelhanças são muito naturais considerando que os filmes são feitos por uma determinada pessoa. É como você dizer que em uma família 3 irmãos se parecem de uma certa forma: o formato do rosto, talvez o nariz. Quando você faz cinema com alguma coisa pessoal ou autoral é natural que essas semelhanças sejam identificadas. “Aquarius” é bem diferente de “Som ao Redor” mas tem muitos pontos em comum. Foram feitos a 1km de distância um do outro.

Wave – Como foi feita a escolha da Sonia Braga para interpretar a Clara.
Kleber – Ela é a melhor! Eu tive a sorte dela responder ao roteiro de uma maneira muito forte. Ela pegou o roteiro e disse “Meu Deus, eu preciso fazer esse filme”.  Caiu feito uma luva!

interview-sonia-braga

Irandhir Santos e Sonia Braga em cena de “Aquarius”

Wave – Como foi escolher as músicas?
Kleber – As músicas foram um acordo entre eu mesmo e o que eu acho que Clara poderia gostar e que fizesse parte da vida dela. O processo de escolha foi muito demorado e complicado porque quando você tem uma ideia para uma música hoje, amanhã de manhã pode já não ser mais uma boa ideia. O segredo foi identificar algo  que perdurasse. Muita coisa foi escrita no roteiro, muitas outras surgiram no processo de filmar e no processo de montagem surgiram outras. Estou muito feliz com a seleção de músicas do filme. Acho que faz sentido para Clara, para o filme e para mim.

Sonia Braga pegou o roteiro e disse “Meu Deus, eu preciso fazer esse filme”.

Wave – Qual foi o maior desafio na realização de “Aquarius”?
Kleber – O mais dificil foi assegurar a alocação. De toda a orla da praia de Boa Viagem o prédio em que filmamos é de fato o último prédio. Se não tivessemos aquele prédio acho que o efeito dramático do filme não seria o mesmo. Você olha para o prédio e vê que ele é de um estilo antigo.

Wave – Muitos diretores de filme estão fazendo seriados. Você tem planos de seguir para essa área?
Kleber –Eu gosto muito do formato série, todos nós hoje consumimos isso de uma maneira muito boa e a qualidade é incrível. O que importa é contar uma história. Eu tenho particular apreço por projetar um filme em uma sala de cinema mas não teria nada contra fazer uma série.

Wave – Você já está trabalhando em um próximo projeto?
Kleber –Estou trabalhando no próximo filme que se chama “Bacurau” e que vai ser filmado no interior de Pernambuco. Não é uma ficção científica mas se passa daqui a alguns anos.

Wave – Você foi crítico de cinema, como é estar do outro lado?
Kleber – Eu não escrevo mais, parei para me dedicar ao “Som ao Redor”. Eu acho que me deu um treinamento para entender que o que é publicado, a não ser que seja prejúrio ou calúnia, é apenas uma opinião ou interpretação de alguém.

Wave – Qual a cena do filme que mais lhe marcou?
Kleber – Quero me divertir em todas as cenas quando escrevo o roteiro. Eu gosto da cena em que Clara está na rede e a câmera está do lado de fora e entra pela janela, passando por ela. A gente teve que filmar umas 11 vezes porque sempre tinha alguma coisa que não funcionava tão bem. E tem outras cenas como a em que a família está discutindo na sala.

Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

Trackbacks/Pingbacks

  1. Aquarius chega a América do Norte | Brazilian Wave - November 2, 2016

    […] entrevista do diretor para a Brazilian […]