Rio apresenta obras do Engenhão

e seu entorno como a Praça do Trem.

Engenhão – Photo credit: Beth Santos/Prefeitura do Rio

Engenhão – Photo credit: Beth Santos/Prefeitura do Rio

Praça do Trem recupera arquitetura tombada como patrimônio histórico-cultural carioca e dá nova vida ao entorno do Estádio Olímpico, que teve 36 ruas reurbanizadas, com investimentos de mais de R$ 115 milhões na região.

Palco de um dos esportes olímpicos mais nobres – o atletismo –, o Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão) está de cara nova para receber feras como o jamaicano Usain Bolt e a brasileira Fabiana Murer durante os Jogos Rio 2016. O prefeito Eduardo Paes apresentou hoje a adaptação na parte interna da instalação e a requalificação do entorno, incluindo a Praça do Trem, importante obra de legado impulsionada pelo evento esportivo. O evento contou com a presença do presidente do Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman; e do presidente da Empresa Olímpica Municipal, Joaquim Monteiro.

Durante os Jogos, o Engenhão também receberá oito jogos de futebol (quatro femininos e quatro masculinos) e, na Paralimpíadas, provas de paratletismo. Entre os dias 14 e 16, a instalação será sede do Íbero-Americano de Atletismo, último evento-teste do calendário olímpico, com a participação de 300 atletas de 25 países. De 18 a 21, será a vez do Open Internacional Paralímpico.

Inaugurado em 2007 para os Jogos Pan-Americanos, o Engenhão passou por adaptações para atender requisitos olímpicos e exigências de novas tecnologias de transmissão. Com a instalação de arquibancadas temporárias nos setores Norte e Sul, a capacidade do estádio aumentou de 45 mil para 60 mil lugares.

As pistas principal e de aquecimento foram substituídas. As obras também incluíram intervenções no sistema de distribuição de energia, som e iluminação; adequação da infraestrutura para passagem dos cabos do sistema de cronometragem, energia e transmissão; aumento do número de câmeras de segurança; instalação de bebedouros; construção de banheiros acessíveis; pintura e limpeza; adequações de acessibilidade para o público e para atletas cadeirantes; e recuperação de paredes e pisos.

A Prefeitura do Rio construiu a estrutura metálica que abrigará o painel eletrônico de resultados, que terá 30 metros de comprimento por nove de altura. Feito de tecnologia LED, será o maior já instalado em estádios. Nele, atletas poderão acompanhar os resultados e assistir junto com os torcedores à repetição dos movimentos. A tecnologia será montada pelo Comité Organizador Rio 2016.

O investimento para a adaptação do Estádio Olímpico, incluindo as adequações elétricas, foi de cerca de R$ 52 milhões.

Praça do Trem

Engenhao_Beth-Santos_Prefeitura-do-Rio_9

Photo credit: Beth Santos/Prefeitura do Rio

No entorno do estádio, o destaque é a Praça do Trem, que teve os galpões restaurados e recebeu nova iluminação, paisagismo, reparos na rede de drenagem e pavimentação. O objetivo principal era a restauração do conjunto de edificações das Oficinas de Locomoção do Engenho de Dentro, tombadas na esfera municipal de proteção ao patrimônio histórico e cultural do Rio.

A Praça do Trem tem aproximadamente 35 mil m2 e será a maior área pública da região do Grande Méier, com um conjunto de melhorias urbanísticas e a construção de calçadas e ciclovia. O projeto incluiu a criação de uma esplanada acessível para facilitar a circulação e atender à logística da operação dos Jogos. Após o evento, o local será uma praça, com mobiliários urbanos. Durante os Jogos, a nova área de lazer será o principal acesso do público ao Engenhão.

Cerca de 90 árvores foram plantadas, respeitando a visibilidade dos galpões. A iluminação utiliza lâmpadas de led e 15km de dutovias para garantir eficiência energética e permitir o uso do local durante a noite. Logo após os Jogos, será inaugurada na Praça do Trem a Nave do Conhecimento Olímpica, instalada em um prédio de dois andares, com salões de 1.000 metros quadrados.

Quem chegar ao Engenhão pela Praça do Trem também poderá conferir obras dos grafiteiros Airá OCrespo, Cazé, Duim, Gil Faria, Josué, Pakato, Rena e Sark, reunidos pelo Instituto Eixo Rio. Os desenhos estão em um painel de 400 m² e são inspirados no jeito despojado dos cariocas e em pontos turísticos como Arcos da Lapa, Maracanã, Corcovado, Praça da Apoteose e Pão de Açúcar.

Além da reforma da praça, o projeto de revitalização dos arredores do Engenhão, iniciado em 2014, inclui a reurbanização das ruas no entorno imediato do estádio e a execução do Programa Bairro Maravilha em 32 vias da região. Na primeira fase, entregue em janeiro de 2015, foram beneficiadas as ruas que formam o quadrilátero do entorno do estádio: Arquias Cordeiro, José dos Reis, Doutor Padilha e Rua das Oficinas, que ganharam acessibilidade, novos passeios, meios-fios e sarjetas, uma ciclovia com 2 km de extensão, além de infraestrutura para nova iluminação e ​posterior​ conversão de redes aéreas para subterrâneas.

A segunda parte do projeto contemplou a reurbanização de 32 vias visando à melhoria da acessibilidade no bairro com nova pavimentação de calçadas, recapeamento das faixas de rolamento e realinhamento de meios-fios. Também foram executados serviços de manutenção, limpeza e reforço de captação superficial na rede de águas pluviais, eliminando pontos de alagamento no bairro. O investimento total nas intervenções foi de R$ 115,6 milhões.

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Comments are closed.