Start-Up Visa Program: Uma Nova Opção para os Empresários

Novo Programa para o Empresário Imigrar e Iniciar sua Empresa no Canadá.

flag

 

Por Marco Castro

O Start-Up Visa Program está previsto para começar em abril deste ano. Ele foi criado para substituir o antigo programa do Empresário Imigrante, que foi paralisado em 2011, e que aparentemente não deu certo. Empresário Imigrante era um programa de muitos pré-requisitos e não atendia muito à realidade. Como escrevi em artigos anteriores, era um programa que não aprovava quem queria vir e não interessava aos que poderiam ser aprovados.

No programa anterior, o empresário, para ser aprovado, tinha que demonstrar, entre outros requisitos, que já possuía um negócio que dava lucro, que tinha uma elevada soma de dinheiro disponível e, além disso, tinha que investir uma soma razoável num negócio no Canadá. Na verdade, o peso da mente e a inovação empresarial não eram muito valorizados nesse programa. Até a compra de uma franquia era válido.

Esse novo programa piloto, que ainda não sabemos quais serão exatamente os requisitos, e que surge como experimental por 5 anos, parece que vai basear-se, principalmente, na genialidade empresarial do candidato. Até onde sabemos, o empresário precisará apenas demonstrar o domínio da língua inglesa e obter uma avaliação positiva da sua ideia por um certo órgão canadense – que ajudará a Imigração do Canadá a avaliar a proposta desse candidato. Imaginamos que será solicitado um plano do negócio ou de ideias a serem postas em práticas, e esse plano, então, será avaliado por algumas empresas e associações. Essas empresas e associações, em seguida, encontrariam investidores canadenses e, uma vez que essas ideias e planos se mostrassem viáveis e com capacidade de êxito, esses investidores dariam suporte financeiro e logístico para transformar essas ideias em realidade. Uma vez que esse aval fosse dado, o empresário seria admitido como imigrante empresarial canadense.

Inicialmente, a Imigração do Canadá terá como parceiros nessas avaliações a Associação Canadense de Capital de Risco e Investimento (CVCA), cujos membros possuem quase $90 bilhões de capital, e a Organização Nacional Angel de Capital e Investimento (NACO), que representa uma classe de investidores que investe aproximadamente $1 bilhão por ano em companhias canadenses. A imigração também está trabalhando para incluir a Associação Canadense de Incubadoras de Empresas (CABI), que apoia os empresários canadenses durante a fase inicial de formação das suas empresas ou no crescimento das mesmas. Essas organizações recomendarão quais dos seus membros participarão desse programa, e, uma vez aprovados pela Imigração do Canadá, esses membros participarão diretamente, em conjunto com a Imigração, na aprovação dos futuros empresários imigrantes.

Pouco se sabe, ainda, que condições serão impostas nesse novo visto de imigrante empresarial. Quando o empresário receberia a sua Residência Permanente definitiva? Em quanto tempo essas ideias teriam que ser implementadas? Uma vez implementadas, e se não obtivesse o êxito esperado, como ficaria o visto permanente do empresário? Qual a experiência mínima requerida do empresário? Qual a condição financeira mínima requerida do empresário? Essas e outras perguntas circulam no meio dos profissionais de imigração do Canadá e somente serão respondidas quando esse novo programa vier à tona.

Na próxima edição, falaremos sobre uma nova maneira de trabalhar no Canadá e imigrar para o país que foi, recentemente, implantada para algumas profissões. No momento, 43 ocupações são elegíveis para esse programa.

Marco Castro é consultor de imigração, certificado e membro do ICCRC, tradutor e notário público, com escritório em Vancouver, BC, Canadá. Ele pode ser contatado através do número 604-696-6042 ou pelo e-mail marco@provisa.ca. Para maiores informações, visite o site provisa.ca

Tags: , , , , , , , , ,

Comments are closed.