Cláudio Moura

Cláudio Moura, reconhecido caricaturista brasileiro, desembarca em terras canadenses para trazer sua arte e provar que caricatura é muito mais do que apenas um desenho engraçado.

Por Luciana Savioli, de Montreal

Quem se depara com a figura despretensiosa de Cláudio Moura custa a acreditar que trata-se de um dos artistas plásticos mais reconhecidos do Brasil, premiado em festivais nacionais e internacionais e citado – em 2005 – como um dos cem melhores caricaturistas do mundo. Tantos predicados são difíceis de caberem em um rosto tão menino e em um sujeito tão informal e tímido à primeira vista. Mas, ao conhecer seu trabalho, tais atribuições tornam-se compreensíveis, naturais e irrefutáveis a qualquer observador.

Carioca de apenas 34 anos, Cláudio já é dono de um currículo extenso e uma carreira sólida. Começou os primeiros rabiscos ainda quando criança e não parou mais – passou pelo colégio, desenhando os professores que mais o intrigavam (fosse pela fisionomia ou pela atitude), chegou à faculdade de Belas Artes da Universidade do Rio de Janeiro. De lá para cá, foi apurando o olhar, afinando o traço. Ainda hoje, para ele, a observação e o desenho são suas grandes paixões e bases para todos os outros trabalhos. Mesmo depois de ter percorrido um grande caminho na área das Artes, ainda continua fiel ao lápis e ao desenho mas desenvolveu outras técnicas artísticas tão impressionantes quanto, todas elas tendo a expressão da caricatura como ponto de partida. Para ele, ao contrário do que prega o senso comum, “caricaturar” requer uma dose muito mais generosa de observação, memória e sensiblidade – para identificar as características fisionômicas e psicológicas – do que de humor. “Caricatura é um desenho que nasce da observação do caráter físico e moral”, explica Cláudio. E isso fica evidente ao analisar seus trabalhos, que vão muito além do cômico, do trivial – exalam vida, inspiram emoções, revelam a alma.

Cláudio hoje é um profissional que pinta, esculpe, desenha e, quando preciso, ainda constrói e dá movimento a encantáveis bonecos. Integrou o selecionadíssimo time de pintores da Rede Globo, reconhecida mundialmente pelo seu impecável padrão de qualidade e sua excelência artística. Foi um dos artistas que criou os bonecos da minisérie “Hoje é Dia De Maria”, indicada ao Emmy Awards 2006 como melhor série estrangeira. Trabalho primoroso, como tantos outros que realizou, e que podem ser apreciados em seu site claudiomoura.com.

Além disso, ele ainda atua na área de design gráfico, programação visual para web e participa de eventos, atividade que procura continuar praticando em sua recém nova cidade, a charmosa e culturalíssima Montréal onde vive desde abril com sua esposa Luciene, figurinista. Aqui, em terras canadenses, Cláudio pretende continuar desenvolvendo sua arte e seu trabalho, abrindo novos caminhos, explorando novas possibilidades e, claro, poder também mostrar sua obra. “Quero, por meio da minha arte, difundir a caricatura na sua forma mais original e arrancar esta manifestação artística tão antiga da vulgaridade em que vive hoje”, finaliza Cláudio. E, com tanto talento, alguém duvida de que ele terá sucesso nesta tarefa?

Tags: ,

Comments are closed.