Imigraçao do Canadá prega susto em pretendentes

Por algum tempo ouviu-se muito “zum-zum” sobre quando e o quê mudaria nos requisitos com relação à imigração através do Trabalhador Qualificado (Federal Skilled Worker). Finalmente, no dia 26 de junho foi anunciada a mudança.

Por Marco Castro*

O anúncio, que teve efeito imediato, surpreendeu muita gente que pretendia aplicar e esperava que fosse anunciada uma data futura para que as mudanças fossem, de fato, aplicadas.

A lista de ocupações elegíveis que era de 38 foi restringida para 29. Agora, engenheiro geológico, de minas, de petróleo e geólogos estão fora da lista. Em compensação, os arquitetos foram incluídos. Os médicos especialistas saíram e abriram espaço para o médico geral e médico de família. Dentistas e técnicos odontológicos também entraram na “nova lista” da imigração.

Outra mudança radical é que agora o interessado é obrigado a fazer o teste de idiomas, e enviar o resultado logo na primeira etapa. Anteriormente, o candidato podia provar que tinha fluência em inglês ou francês, sem precisar fazer o teste, ou apenas enviaria o resultado do teste na segunda etapa do processo, juntamente com os outros documentos comprobatórios. Essa mudança aumenta muito o tempo de preparação, pois entre se preparar, fazer o teste e receber os resultados, pode levar pelo menos alguns meses.

A opção de se qualificar baseada na permanência de um ano no Canadá, como estudante ou trabalhador, também já não existe mais. Agora há somente duas opções para se imigrar como Trabalhador Qualificado – ou ter uma oferta de trabalho, que deve ser reconhecida pelo Recursos Humanos do Canadá, ou ter pelo menos um ano de experiência em uma das 29 novas ocupações elegíveis.

A informação sobre a política de escolha durante o processo também foi anunciada. Serão considerados no máximo 20 mil processos dessa categoria a cada 12 meses. E dentre esses 20 mil, apenas 1000 processos serão avaliados por cada ocupação elegível, em cada ano. Entretanto, essa política não se aplica para quem tem uma oferta de emprego.

No restante, o processo continua igual com a avaliação das seis áreas: educação, experiência de trabalho qualificado, idade, oferta de trabalho ou visto de trabalho, adaptabilidade e conhecimento do idioma Inglês ou Francês. A pontuação necessária também permanece em 67 pontos.

A primeira etapa do processo, em que o pedido nessa categoria é enviado a Sydney, Nova Scotia, leva em torno de quatro a oito semanas. A etapa seguinte, quando é enviado para São Paulo, leva em torno de nove meses, tendo alguns casos sido aprovados em até seis meses. É um tempo bem razoável e é esperado que com a mudança, reduza um pouco mais.

*Marco Castro é Consultor Certificado de Imigração e Notário Público com escritório em Vancouver, BC, e pode ser contactado através do site Provisa

Tags: , ,

Comments are closed.